domingo, 3 de maio de 2009

"Vibrações adeliopradianas"




Na minha cidade, nos domingos de tarde,
as pessoas se põem na sombra com faca e laranjas.
Tomam a fresca e riem do rapaz de bicicleta,
A campainha desatada, o aro enfeitado de laranjas:
'Eh bobagem!'
Daqui a muito progresso tecno-ilógico,
quando for impossível detectar o domingo
pelo sumo das laranjas no ar e bicicletas,
em meu país de memória e sentimento,
basta fechar os olhos:
é domingo, é domingo, é domingo.

Adélia Prado

4 comentários:

Job disse...

Adélia Prado, me remete às manhãs de sextas-feiras entre os anos de 1999 e 2000,quando cursei na Unicamp minha especialização. A responsável pelo curso, sempre iniciava e por vezes terminava com uma leitura de algum texto de Adélia Prado ou Rubem Alves!
Agradeço pelo momento "flashback"...risos Recordar é viver!
Beijos no coração e uma semana zen!

André Flausino disse...

Oh meu querido!
Saudades de vc!
Eu é que agradeço a visita, sabes que a "casa" é sua!
Semana zen pra ti tb!
[ ]'s

Júnior disse...

Nossa! Que delícia ler isso, lembrei das tardes na rua onde morei com tias e primos e todos chupando tangerina, 'tangi', como uma tia chamava...

E lembrei mais, do Ma Vi En Rose, a vó falando algo do tipo 'feche os olhos e imagine tudo como você queria que estivesse'

Obrigado!

Carol Daemon disse...

Eu tb gosto muito da Adelia Prado e essa foto ficou incrível.
Apareça na "Menina do Dedo Verde" quando quiser, rolam outras receitas por lá.